sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

LOUCURA

LOUCURA

Muita vezes a loucura
Deixa-nos inebriados de prazer
Pois há momentos de insanidade
Que realizamos todos
Os desejos mais obscuros
Já criados no nosso subconsciente
Os loucos são capazes de desafiar
As suas próprias mentes
São capazes de ver aquilo
Que não queremos ver, escutar
O que mais ninguém quer
- Ou consegue ouvir
Afinal é a loucura que nos
Deixa inebriados de prazer
Momentos de lucidez
Momentos de insensatez
No qual a minha mente te quer
E meu corpo te deseja
Ansiando por ter tudo aquilo
Que sentia, mais do que podia
E nesses momentos me deixo levar
Perdida nos meus próprios sentimentos
Entregando-me de corpo e alma
Ao lembrar de todos os nossos momentos.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca